Resultados 2023

Destaques

Placeholder

R$ 130,5 bilhões

Patrimônio da Petros cresceu 8% e registrou incremento de R$ 10 bilhões no ano

Placeholder

12,6% de rentabilidade

Investimentos consolidados tiveram a maior rentabilidade dos últimos 4 anos

Placeholder

R$ 13,3 bilhões

Retorno líquido dos investimentos foi mais de 70% superior ao do ano anterior

Petros encerra 2023 com o maior patrimônio de sua história

Fechamos 2023 com patrimônio total de R$ 130,5 bilhões, o maior da nossa história, com incremento de R$ 10 bilhões (8%) em relação ao ano anterior (R$ 120,8 bilhões). A marca é resultado da robustez da gestão dos nossos investimentos, que registraram a melhor rentabilidade em quatro anos, de 12,6%, quase três pontos percentuais acima do objetivo médio de 9,7%, considerando todos os planos que administramos. 

Com o desempenho, o retorno líquido dos investimentos somou R$ 13,3 bilhões, mais de 70% superior ao obtido em 2022 (R$ 7,7 bilhões), contribuindo para o superávit de R$ 1,5 bilhão no exercício. No ano, pagamos um total de R$ 9,4 bilhões em benefícios, cumprindo nossa missão de forma eficiente, transparente e responsável, com base em uma gestão de excelência. 

Os dois maiores planos de benefício definido que administramos, o PPSP-R e o PPSP-NR, encerraram com superávit no exercício, e o PP-2, líder da modalidade de contribuição variável no país, consolidou sua posição, alcançando R$ 43,9 bilhões em patrimônio, um incremento de 20%. O PP-3 e o FlexPrev, ambos de contribuição definida, também cresceram em ativos totais, fechando o ano com patrimônio de R$ 3,83 bilhões e R$ 1,11 bilhão, respectivamente.

Esses e outros números constam nas demonstrações contábeis da Petros referentes a 2023, aprovadas nesta quarta-feira (27/3/2024) pelo Conselho Deliberativo, nossa instância máxima de governança. 

Evolução do patrimônio (R$ bilhões)

Imunização para maior segurança dos investimentos 

O resultado positivo reflete a qualidade da nossa gestão de investimentos, que concluiu em outubro de 2023 a estratégia de imunização dos planos de benefício definido PPSP-R, PPSP-NR, PPSP-R Pré-70, PPSP-NR Pré-70, Arlanxeo Prev e Nitriflex. Ao todo, movimentamos mais de R$ 83,4 bilhões entre compras e vendas de títulos públicos, atingindo a meta de imunizar, na média, 82% das carteiras.

A estratégia de imunização consistiu em aproveitar o cenário de juros elevados, acima da meta atuarial dos planos, para adquirir títulos públicos federais e contabilizá-los como marcados a mercado ou na curva, conforme a legislação permite. Com esse movimento, crucial para o resultado, oferecemos mais segurança ao patrimônio dos participantes, casando o fluxo de caixa desses papéis com os compromissos de pagamento a aposentados e pensionistas. 
 
Clique aqui e assista ao vídeo sobre a conclusão da estratégia de imunização dos planos no nosso canal de Youtube.

Títulos públicos e fundos de investimento são destaque

Os resultados foram alcançados em um ano desafiador do ponto de vista econômico e geopolítico, como a inflação alta nos mercados globais, a manutenção de juros elevados na economia norte-americana, a desaceleração da economia chinesa e os conflitos no Oriente Médio e no Leste Europeu. No cenário interno, o ano foi marcado pelo início do ciclo de redução da taxa de juros, a Selic. 

Mesmo diante dessa conjuntura, os nossos investimentos se destacaram. Os títulos públicos, que concentram a maior parcela da carteira da Petros (54%), valorizaram 12,1% e tiveram retorno de R$ 7,31 bilhões, respondendo por mais da metade do rendimento total, seguidos por fundos de investimentos (como fundos de renda fixa, ações e imóveis), com R$ 5,58 bilhões.

“O bom desempenho reflete a qualidade do trabalho desenvolvido pelas nossas equipes e os esforços para aprimorar e fortalecer a governança de forma contínua. Como estratégia, perseguimos como diretriz das nossas decisões a segurança dos ativos e maior previsibilidade nos planos maduros, além da busca por diversificação nos planos jovens, reduzindo riscos e mirando oportunidades para melhor rentabilidade”, disse o presidente da Petros, Henrique Jäger. “Mas sabemos que ainda existem questões cruciais que impactam a vida dos participantes dos nossos maiores planos de benefício definido, para os quais buscamos, por meio do diálogo e aproximação, somar forças para encontrar soluções”, complementou. 

Recondução da Diretoria Executiva


O Conselho Deliberativo decidiu, por unanimidade, reconduzir a Diretoria Executiva por mais um mandato (até 31 de março de 2025). A Diretoria Executiva da Petros é composta por Henrique Jäger (presidente), Paulo Werneck (Investimentos), Marco Aurelio Viana (Seguridade) e João Marcelo Torres (Riscos, Finanças e Tecnologia).


Balanço sem ressalvas

 

As demonstrações financeiras da Petros foram aprovadas pelo Conselho Deliberativo após o Conselho Fiscalo Comitê de Auditoria (Coaud) e a Auditoria Independente emitirem pareceres recomendando a aprovação, sem qualquer ressalva ou ênfase, assegurando a confiabilidade e a transparência das nossas informações e refletindo a robustez dos nossos processos de governança. Em seu parecer, a PricewaterhouseCoopers (PwC), que, desde 2023, é a nossa auditoria independente, uma das maiores do mundo, atestou que os números refletem, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da Fundação e dos nossos planos, estando em total conformidade com as práticas contábeis, normas de auditoria e exigências éticas. 

 

Relatório anual  
 

Informações mais detalhadas sobre o resultado do seu plano estarão disponíveis, em breve, no Relatório Anual 2023, principal documento de prestação de contas aos participantes que será publicado até o fim de abril aqui no Portal Petros. A publicação traz a íntegra das demonstrações financeiras da Petros e de todos os planos, assim como avaliações atuariais e demonstrativos de investimentos, além de um resumo dos resultados do ano e das medidas de gestão.
 

Live para os participantes

 
Quer saber mais sobre os resultados da Petros e do seu plano? No dia 5/4, às 11h, a Diretoria Executiva vai apresentar os principais números da Fundação no exercício de 2023 e responder a dúvidas dos participantes. Em breve, enviaremos o link para a transmissão ao vivo. Participe!

 

 

Navegue nas abas abaixo para saber mais sobre o resultado de cada plano administrado pela Petros. Basta clicar na modalidade e selecionar o plano.
Âncora: Benefício Definido
##beneficio_definido

Benefício Definido

O PPSP-R registrou em 2023 rentabilidade de 11,4% nos investimentos. Se compararmos a rentabilidade dos ativos com o objetivo de retorno de 9,5%, o resultado das aplicações financeiras ficou dois pontos percentuais acima do esperado. 

Com o desempenho, o plano fechou o ano com retorno líquido de R$ 4,84 bilhões nos investimentos, 73% superior ao registrado no ano anterior (R$ 2,79 bilhões).

Do lado do passivo (obrigações futuras do plano), houve acréscimo especialmente devido à alteração da tábua de mortalidade do plano. Com isso, o
PPSP-R teve superávit de R$ 12,8 milhões no exercício, reduzindo o déficit técnico acumulado de R$ 1,72 bilhão, em 2022, para R$ 1,71 bilhão, em 2023. Seguindo o que determina a legislação, com o reconhecimento no final de 2023 do ajuste de precificação, que representa os ganhos esperados futuros com os títulos públicos federais contabilizados como marcados na curva, no montante de R$ 3,59 bilhões, o plano encerrou o exercício com equilíbrio técnico ajustado positivo de R$ 1,88 bilhão.

Texto atualizado em 15/4/2024.

Resultado financeiro do plano

Descrição 2023 (em R$ bi) 2022 (em R$ bi)
Ativo total (Patrimônio do plano) 50,27 48,41
Resultado de investimentos 4,84 2,79
Patrimônio de cobertura (a) 47,85 46,17
Provisão matemática (b) 49,56 47,89
Equilíbrio técnico (a-b) -1,71 -1,72
(+) Ajuste de precificação 3,59 1,71
(=) Equilíbrio técnico ajustado 1,88 -0,01

 

Rentabilidade por segmento

Com rentabilidade de 11,7%, no PPSP-R, a renda fixa foi o destaque, refletindo nossas estratégias em títulos públicos federais e o patamar ainda elevado da taxa básica de juros. O segmento de renda variável, por sua vez, rendeu 8,3%, impulsionado pelos fundos de investimentos em ações. 
 
Outro destaque positivo foi a carteira de investimentos em imóveis, beneficiada pelo início do ciclo de cortes na taxa básica de juros. A rentabilidade no segmento foi de 18,2% em 2023, puxada pelas estratégias que vêm sendo direcionadas para redução da vacância e desinvestimentos para ativos que não atendam ao perfil do plano. Acesse a rentabilidade completa do plano no Painel de Investimentos
O PPSP-NR apresentou rentabilidade de 11,5% nos investimentos em 2023. Frente ao objetivo de retorno de 9,5%, o resultado das aplicações financeiras ficou dois pontos percentuais acima do esperado.

Com o desempenho, o plano fechou o ano com retorno líquido de R$ 1,23 bilhão nos investimentos, montante superior em 74% ao registrado no ano anterior (R$ 706,7 milhões).

Do lado do passivo (obrigações futuras do plano), houve acréscimo devido especialmente à alteração da tábua de mortalidade do plano. Neste cenário, a implementação do PED-2022, conjugada com a estratégia de imunização do passivo, foram as principais responsáveis pelo superávit de R$ 1,29 bilhão no exercício de 2023. Com isso, o déficit técnico acumulado do plano encerrou o ano em R$ 487 milhões, representando uma redução de 72,6% comparado ao resultado de 2022 (-R$ 1,78 bilhão). Seguindo o que determina a legislação, com o reconhecimento no final de 2023 do ajuste de precificação, que representa os ganhos esperados futuros com os títulos públicos federais contabilizados como marcados na curva, no montante de R$ 908 milhões, o plano encerrou o exercício com equilíbrio técnico ajustado positivo de R$ 421 milhões.

Texto atualizado em 15/4/2024.

Resultado financeiro do plano

Descrição 2023 (em R$ bi) 2022 (em R$ bi)
Ativo total (Patrimônio do plano) 14,13 13,91
Resultado de investimentos 1,23 0,71
Patrimônio de cobertura (a) 12,82 12,65
Provisão matemática (b) 13,31 14,43
Equilíbrio técnico (a-b) -0,49 -1,78
(+) Ajuste de precificação 0,91 0,45
(=) Equilíbrio técnico ajustado 0,42 -1,33

 

Rentabilidade por segmento

Com rentabilidade de 11,9%, a renda fixa foi o destaque de investimento do PPSP-NR, refletindo nossas estratégias em títulos públicos federais e o patamar ainda elevado da taxa básica de juros. Já o segmento de renda variável rendeu 6,7%, impulsionado pelos fundos de investimentos em ações. 
 
A carteira de investimentos em imóveis, beneficiada pelo início do ciclo de cortes na taxa básica de juros, foi outro destaque positivo. O segmento valorizou 18,2% em 2023, puxado pelas estratégias que vêm sendo direcionadas para redução da vacância e desinvestimentos para ativos que não atendam ao perfil do plano. Acesse a rentabilidade completa do plano no Painel de Investimentos
O PPSP-R Pré-70, de benefício definido, encerrou 2023 com rentabilidade de 11,5% nos investimentos, quase três pontos percentuais acima do objetivo de retorno de 8,8%.

Com o desempenho, o retorno líquido dos investimentos foi de R$ 527,9 milhões, montante 52,8% superior ao registrado no ano anterior (R$ 345,5 milhões). 

Em função de acordo com regras específicas que regem a relação dos participantes com o plano, a Petrobras assume possíveis compromissos estabelecidos com o PPSP-R Pré-70. Assim, o plano permanece em equilíbrio técnico. 

Resultado financeiro do plano

Descrição 2023 (em R$ bi) 2022 (em R$ bi)
Ativo total (Patrimônio do plano) 8,18 8,05
Resultado de investimentos 0,53 0,35
Patrimônio de cobertura (a) 7,15 7,06
Provisão matemática (b) 7,15 7,06
Equilíbrio técnico (a-b) 0,00 0,00

 

Rentabilidade por segmento

No PPSP-R Pré-70, a renda fixa, que responde por quase a totalidade da carteira, rendeu 11,5%, refletindo nossas estratégias em títulos públicos federais e o patamar ainda elevado da taxa básica de juros. Acesse a rentabilidade completa do seu plano no Painel de Investimentos
O PPSP-NR Pré-70 fechou 2023 com rendimento de 11,5% nos investimentos, quase três pontos percentuais acima do objetivo de retorno de 8,8%. 

Com o desempenho, o retorno líquido dos investimentos foi de R$ 308,4 milhões, montante 48,2% superior ao registrado no ano anterior (R$ 208,1 milhões). 

Em função de acordo com regras específicas que regem a relação dos participantes com o plano, a Petrobras assume possíveis compromissos estabelecidos com o PPSP-NR Pré-70. Assim, o plano permanece em equilíbrio técnico. 

Resultado financeiro do plano

Descrição 2023 (em R$ bi) 2022 (em R$ bi)
Ativo total (Patrimônio do plano) 5,67 5,61
Resultado de investimentos 0,31 0,21
Patrimônio de cobertura (a) 4,67 4,65
Provisão matemática (b) 4,67 4,65
Equilíbrio técnico (a-b) 0,00 0,00

 

Rentabilidade por segmento

No PPSP-NR Pré-70, a renda fixa, que responde por quase a totalidade da carteira, rendeu 11,5%, refletindo nossas estratégias em títulos públicos federais e o patamar ainda elevado da taxa básica de juros. Acesse a rentabilidade completa do plano no Painel de Investimentos.
O plano Arlanxeo Prev fechou 2023 com rendimento de 10,8% nos investimentos, pouco mais de um ponto percentual acima do objetivo de retorno de 9,6%. 

Com o desempenho, o retorno líquido dos investimentos foi de R$ 114,7 milhões, montante 30,7% superior ao registrado no ano anterior (R$ 87,7 milhões). A melhora do retorno do investimento em comparação a 2022 foi alcançado devido ao processo de imunização da carteira do plano, concluída em outubro de 2023, com a compra de títulos públicos federais aproveitando a alta da taxa de juros, que estavam acima das metas atuariais.

Apesar do bom resultado, o passivo do plano (obrigações futuras) aumentou, principalmente, devido ao reajuste dos benefícios acima do previsto e ao impacto de demandas judiciais, levando o plano a encerrar o exercício com déficit de R$ 27,94 milhões e um equilíbrio técnico negativo de R$ 150,7 milhões.

Por outro lado, o processo de imunização da carteira do plano permitiu a contabilização dos ganhos esperados futuros com os títulos públicos federais marcados na curva (ajuste de precificação) de R$ 85,1 milhões. Dessa forma, o plano encerrou o exercício de 2023 com um equilíbrio técnico ajustado negativo de R$ 65,6 milhões. 

Ainda assim, a situação financeira-atuarial ultrapassou o limite técnico permitido por lei, sendo necessário estudar um plano de equacionamento. O plano de equacionamento do resultado deficitário de 2023 será objeto de estudo no decorrer de 2024 e todos os participantes serão devidamente comunicados. 

Patrimônio do plano (Em R$ bilhões)

Rentabilidade por segmento

No Arlanxeo Prev, a renda fixa, que representa a maior parcela da carteira, apresentou rentabilidade de 11,2%, refletindo nossas estratégias em títulos públicos federais e o patamar ainda elevado da taxa básica de juros. O segmento de renda variável foi outro destaque, com alta de 19,5%, impulsionado pelos fundos de investimentos em ações. Acesse a rentabilidade completa do plano no Painel de Investimentos.
O plano Nitriflex registrou em 2023 rentabilidade de 10,7% nos investimentos, superando em quase dois pontos percentuais o objetivo de retorno de 9%.  

Com o desempenho, o retorno líquido dos investimentos foi de R$ 17,5 milhões, montante superior ao registrado no ano anterior (R$ 17,1 milhões), levando o plano a registar superávit de R$ 1,1 milhão no exercício e equilíbrio técnico acumulado positivo de R$ 37 milhões. 

Considerando as novas regras sobre destinação de superávits acumulados (Resolução Previc 23/2023) e por se tratar do quarto ano consecutivo de formação de reserva especial do plano, vamos realizar estudos ao longo de 2024 para avaliar a possibilidade de destinação desses recursos aos participantes do plano.

Vale lembrar que, desde fevereiro de 2022, o plano está distribuindo o superávit relativo ao exercício de 2019.
 

Patrimônio do plano (Em R$ bilhões)

Rentabilidade por segmento

No Nitriflex, o destaque foi a renda variável, com valorização de 22,7%, ligeiramente acima do Ibovespa, índice de referência da Bolsa de Valores (22,3%), impulsionada pelos fundos de investimentos em ações. A renda fixa, por sua vez, rendeu 11,3%, refletindo nossas estratégias em títulos públicos federais e o patamar ainda elevado da taxa básica de juros. Acesse a rentabilidade completa do plano no Painel de Investimentos.
O Plano Ultrafértil teve rentabilidade de 13,6% nos investimentos em 2023. Se compararmos a rentabilidade dos investimentos com o objetivo de retorno de 9,6%, o resultado das aplicações financeiras ficou quatro pontos percentuais acima do esperado.

Com o desempenho, o retorno líquido dos investimentos foi de R$ 61,9 milhões, montante 28,5% superior ao registrado no ano anterior (R$ 48,2 milhões). Apesar do resultado dos investimentos, o plano encerrou o exercício de 2023 com um resultado deficitário no período, motivado especialmente pela elevação do passivo atuarial decorrente de demandas judiciais.

Patrimônio do plano (Em R$ bilhões)

Resultado por patrocinadora

O plano conta com duas patrocinadoras e possui patrimônio contabilizado de forma independente. Para a patrocinadora Mosaic, o resultado ficou deficitário em R$ 15,7 milhões no exercício, encerrando com um equilíbrio técnico ajustado negativo de R$ 21,7 milhões. A situação financeira-atuarial não ultrapassa o limite permitido por lei. Por isso, não será preciso um novo equacionamento.

Já para a patrocinadora VLI, o resultado foi deficitário em R$ 724 mil no exercício, com equilíbrio técnico ajustado negativo de R$ 1,4 milhão. Neste caso, a situação financeira atuarial superou o limite permitido por lei, sendo necessário estudar no decorrer de 2024 um plano de equacionamento para o déficit de 2023 e todos os participantes serão devidamente comunicados.
 

Rentabilidade por segmento

Entre os destaques de investimento do Ultrafértil, a renda fixa apresentou rentabilidade de 14,3%, refletindo nossas estratégias em títulos públicos federais e o patamar ainda elevado da taxa básica de juros. O segmento de renda variável, por sua vez, rendeu 12,9%, impulsionado pelos fundos de investimentos em ações. Acesse a rentabilidade completa do plano no Painel de Investimentos
Âncora: Contribuição Variável
##contribuicao_variavel

Contribuição Variável

Maior plano de contribuição variável do país e em fase de acumulação de recursos, o PP-2 manteve sua trajetória de crescimento e encerrou 2023 com patrimônio de R$ 43,9 bilhões, montante 19,5% superior ao do ano anterior (R$ 36,7 bilhões). Os investimentos renderam 14,3% no ano, bem superior ao objetivo de retorno de 9,5%. 

Com o desempenho, o plano registrou retorno líquido de R$ 5,3 bilhões nos investimentos, 68,4% acima do registrado no ano anterior (R$ 3,1 bilhões). Ao final do exercício, os participantes desse plano obtiveram uma valorização de 14,1% na cota patrimonial¹, que representa o percentual de retorno líquido para o plano. 

Considerando o resultado dos investimentos e a atualização do passivo (compromissos futuros) pela meta atuarial (taxa de juros + IPCA), o plano registrou superávit de R$ 234,7 milhões no exercício, reduzindo o déficit técnico acumulado de R$ 1,23 bilhão, em 2022, para R$ 999 milhões, em 2023. Seguindo o que determina a
legislação, com o reconhecimento no final de 2023 do ajuste de precificação, que representa os ganhos esperados futuros com os títulos públicos federais contabilizados como marcados na curva, no montante de R$ 1,4 bilhão, o plano encerrou o exercício com equilíbrio técnico ajustado positivo de R$ 403 milhões.

Texto atualizado em 15/4/2024.
Cota patrimonial: permite apurar a participação individual no patrimônio total do plano de benefícios.

Resultado financeiro do plano

Descrição 2023 (em R$ bi) 2022 (em R$ bi)
Ativo total (Patrimônio do plano) 43,89 36,74
Resultado de investimentos 5,26 3,12
Patrimônio de cobertura (a) 42,91 35,82
Provisão matemática (b) 43,91 37,05
Equilíbrio técnico (a-b) -1,00 -1,23
(+) Ajuste de precificação 1,40 1,44
(=) Equilíbrio técnico ajustado 0,40 0,20

 

Rentabilidade por segmento

O desempenho dos investimentos do PP-2 foi puxado pela renda fixa, que representa a maior parcela da carteira do plano e apresentou rentabilidade de 13,7% em 2023, refletindo nossas estratégias em títulos públicos federais e o patamar ainda elevado da taxa básica de juros. A renda variável também foi destaque, valorizando 21% no período, impulsionada pelos fundos de investimentos em ações, refletindo a boa performance da Bolsa de Valores.

A carteira de investimentos em imóveis, beneficiada pelo início do ciclo de cortes na taxa básica de juros, a Selic, também contribuiu para o bom desempenho. A rentabilidade no segmento foi de 15,3% em 2023, sobretudo em função do resultado da carteira de Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs), que valorizou 21,5%, bem acima do índice de referência do segmento, o IFIX (15,5%). Acesse a rentabilidade completa do plano no Painel de Investimentos
O plano Misto Sanasa teve rentabilidade de 13,85% nos investimentos em 2023, quase seis pontos percentuais acima do objetivo de retorno de 8%.

Com o desempenho, o plano fechou o ano com retorno líquido de R$ 53,1 milhões nos investimentos, 50% acima do registrado no ano anterior (R$ 35,4 milhões). Ao final do exercício, os participantes desse plano obtiveram uma valorização de 13,3% na cota patrimonial¹, que representa o percentual de retorno líquido para o plano.

Considerando o resultado dos investimentos e a atualização do passivo pela meta atuarial (taxa de juros + IPCA), o plano registrou superávit de R$ 2,2 milhões no exercício de 2023, encerrando o ano de 2023 com equilíbrio técnico negativo de R$ 20,9 milhões.

Seguindo o que determina a legislação, com o reconhecimento no final de 2023 de um ajuste de precificação, que representa os ganhos esperados futuros com os títulos públicos federais contabilizados como marcados na curva, de R$ 17,1 milhões, o plano encerrou o exercício com equilíbrio técnico ajustado negativo de R$ 3,8 milhões.

​​​​​​​Cota patrimonial: permite apurar a participação individual no patrimônio total do plano de benefícios.

Patrimônio do plano (Em R$ bilhões)

Rentabilidade por segmento

O desempenho dos investimentos do Plano Misto Sanasa foi puxado pela renda fixa, que representa a maior parcela da carteira do plano e apresentou rentabilidade de 13,2% em 2023, refletindo nossas estratégias em títulos públicos federais e o patamar ainda elevado da taxa básica de juros. A renda variável foi destaque no período, valorizando 22,9%, incluindo os fundos de investimentos em ações, refletindo a boa performance da Bolsa de Valores. Acesse a rentabilidade completa do plano no Painel de Investimentos
Âncora: Contribuição Definida
##contribuicao_definida

Contribuição Definida

 O Plano Petros-3 apresentou em 2023 rentabilidade de 15,5% nos investimentos e, pela primeira vez, superou seu objetivo de retorno, de 15,3%. Com o desempenho, o retorno líquido dos investimentos foi de R$ 512 milhões, montante 158% superior ao registrado no ano anterior (R$ 198,1 milhões). O patrimônio do plano fechou com um montante de R$ 3,83 bilhões, aumento de 10% em relação ao ano anterior (R$ 3,48 bilhões).

Ao final do exercício, os participantes obtiveram uma valorização de 15,4% na cota patrimonial¹, que representa o percentual de retorno líquido para o plano. Como o resultado superou o índice de referência, de 8,81% (IPCA+4%), caso a rentabilidade se mantenha acima da meta, pode contribuir positivamente para a revisão dos benefícios, que ocorre em junho.

Como num plano de contribuição definida o benefício é sempre ajustado de acordo com o saldo de conta individual, o PP-3 encontra-se equilibrado, em conformidade com a legislação vigente.

Cota patrimonial: permite apurar a participação individual no patrimônio total do plano de benefícios.

Patrimônio do plano (Em R$ bilhões)

Rentabilidade por segmento de investimento

O destaque dos investimentos do PP-3 foi a renda fixa, que representa a maior parcela da carteira do plano e apresentou rentabilidade de 15,6% em 2023, refletindo nossas estratégias em títulos públicos federais e o patamar ainda elevado da taxa básica de juros. A renda variável também contribuiu para o resultado, valorizando 15,2%, refletindo a boa performance da Bolsa de Valores.

Outro destaque foi a carteira de investimentos em imóveis, beneficiada pelo início do ciclo de cortes na taxa básica de juros. A rentabilidade no segmento foi de 18,2% em 2023, impulsionada pelas estratégias que vêm sendo direcionadas para redução da vacância e desinvestimentos para ativos que não atendam ao perfil do plano. Os empréstimos tiveram papel importante para o plano bater a meta atual, com alta de 51,41%, por conta da recuperação de contratos inadimplentes. Acesse a rentabilidade completa do plano no Painel de Investimentos
 O plano FlexPrev registrou rentabilidade de 13,7% em 2023, abaixo do objetivo de retorno de 15,3%. O retorno líquido dos investimentos foi de R$ 117,2 milhões, resultado bem superior ao registrado no ano anterior (R$ 15,5 milhões). O patrimônio do plano fechou com um montante de R$ 1,11 bilhão, aumento de cerca de 7% em relação ao ano anterior (R$ 1,04 milhão).

Ao final do exercício, os participantes desse plano obtiveram uma valorização de 12,9% na cota patrimonial¹, que representa o percentual de retorno líquido para o plano. Como o resultado superou o índice de referência, de 8,81% (IPCA+4%), caso a rentabilidade se mantenha acima da meta, pode contribuir positivamente para a revisão dos benefícios, que ocorre em junho.

Como num plano de contribuição definida o benefício é sempre ajustado de acordo com o saldo de conta individual, o FlexPrev encontra-se equilibrado, em conformidade com a legislação vigente. 

Cota patrimonial: permite apurar a participação individual no patrimônio total do plano de benefícios.

Patrimônio do plano (Em R$ bilhões)

Rentabilidade por segmento de investimento

O desempenho dos investimentos do FlexPrev foi puxado pela renda fixa, que representa a maior parcela da carteira do plano e apresentou rentabilidade de 13,8% em 2023, refletindo nossas estratégias em títulos públicos federais e o patamar ainda elevado da taxa básica de juros. A renda variável também foi destaque no período, valorizando 19,2%, refletindo a boa performance da Bolsa de Valores.

Outro destaque foi a carteira de investimentos em imóveis, beneficiada pelo início do ciclo de cortes na taxa básica de juros. A rentabilidade no segmento foi de 17,4% em 2023, impulsionada pelas estratégias que vêm sendo direcionadas para redução da vacância e desinvestimentos para ativos que não atendam ao perfil do plano. Acesse a rentabilidade completa do plano no Painel de Investimentos.
Para conferir a rentabilidade de 2023 dos demais planos de contribuição definida, acesse o Painel de Investimentos do Portal Petros. As informações completas sobre o resultado financeiro estarão disponíveis no Relatório Anual, que será publicado até o final de abril.  ​​​​​​